play_arrow

keyboard_arrow_right

skip_previous play_arrow skip_next
00:00 00:00
playlist_play chevron_left
volume_up
chevron_left
  • Home
  • keyboard_arrow_right Arquivo
  • keyboard_arrow_right Blog
  • keyboard_arrow_right Como seria um filme live action de Full Throttle?

Como seria um filme live action de Full Throttle?

762 Resultados / Página 1 de 43


Background

Quando eu penso em Maureen eu penso em duas coisas: asfalto e problemas… Se você me disser que Full Throttle não daria um p*ta filme, eu boto você pra fora do bar e te convido para um amigável papinho com o Ripburger! Hehehe

E se você nunca ouviu falar de Full Throttle, recomendo fortemente que ouça o nosso podcast WeRgeeks 45 – Full Throttle em que falamos sobre esse game clássico!

Vamos lá, essa não é a primeira vez que citei esse meu desejo de ver um filme de Full Throttle, mas não adianta nada falar e não visualizar como seria. Por isso, fiz um exercício de construir o meu elenco ideal para um live action fodástico que levaria milhões e milhões de geeks ao cinema.

Pra começar, vamos falar do vilão filho de uma quenga que tenta matar o Ben e destruir o império da Corley Motors… Adrian Ripburger! Acho que não teria ninguém melhor para esse papel que o próprio clone encarnado do cara. Ninguém mais, ninguém menos que Mr. Richard Harrison, o Velho, do Trato Feito.

Adrian Ripburger

Agora, para o papel do velhote simpático que “controla” o império das motocas iradas (no melhor estilo anos 90), precisamos de um ator que consiga impor o devido respeito que Malcolm Corley merece. E honestamente, eu só consigo pensar em uma pessoa: Clint F*CKIN Eastwood.

Imaginem só que impressionante seria o cara cantando a musiquina do banheiro! Hehehe

Malcolm Corley

Um bom vilão precisa de bons capangas… Mas esse não é o caso aqui! rs E para gerar o sentimento de ódio na platéia que esses personagens merecem, ninguém melhor que esses dois aqui: Nicolas Cage como Nestor (o cara é igual ao personagem) e Jon Fraveau pro papel do queixudo gordão Bollus!

Nestor

Bollus

A simpática (INTERESSEIRA COF! COF!) fotógrafa que salva o líder dos Polecats do “acidente” na estrada precisa de alguém que, além de ter o tipo físico certo, possa gerar a desconfiança na galera de uma jornalista que busca um ótimo desastre pra emplacar uma capa de jornal. Se tem uma boa atriz que cumpre com todos esses quesitos, com certeza essa atriz é a linda, a talentosa, a dilicinha da Alice Braga.

Miranda Rose Wood

Admito que não foi nada fácil encontrar a atriz perfeita para fazer essa mulher que montou um carburador com quatro anos de idade. Ela tem que ser f*da o suficiente pra poder arrumar a moto do Ben, ser machona o suficiente pra torturar um líder de uma gangue rival, mas ao mesmo tempo, carismática o suficiente pra você topar pegar fogo por ela! Por todos esses fatores, ficamos com a indiscutível, Sandra Bullock.

Maureen

Todo grande herói precisa de um grande mestre.

É isso! Rs

Nem preciso explicar a importância do antigo antigo líder dos Polecats, não é? O cara teria que trabalhar um pouco o sotaque, mas Sir Ian Mckellen seria um p*ta Father Torque!

Father Torque

Finalmente chegamos ao final da lista com o ator principal. O cara que irá levar o filme como o fodástico líder dos Polecats, que irá, nas palavras do Father Torque “GIVE ‘EM HELL”! O cara precisa ser um badass, ser carismático e fazer você rir toda vez que cair na estrada durante uma briga sobre rodas ou colar a cara do barman no balcão… Por isso, ninguém melhor que Russell Crowe para o papel.

Ben - Full Throttle

E você? Curtiria um filme do Full Throttle? Concordou comigo sobre o elenco? Discordou? Deixe um comentário! GIVE ‘EM HELL CAVALARIA GEEK!!!


EU NÃO ACREDITO

toda segunda-feira um novo episódio
Ouça em todas as plataformas
Background

Eu não acredito que o conceito de comunicação não-violenta só surgiu na década de 1960.

A técnica, criada pelo psicólogo norte-americano Marshall Rosenberg, pretende criar formas de conexão mais profunda e empática para solucionar conflitos, e já foi usada em casos de crises internacionais ao longo dos anos.

Nesta semana, vamos entender tudo sobre a comunicação não-violenta e como ela pode ser usada nas nossas vidas!

DESCUBRA NESSE EPISÓDIO:
– O que é comunicação não-violenta?
– É possível ser violento mesmo falando de forma tranquila?
– Por que é importante se conectar com o outro numa discussão?
– O que Gandhi tem a ver com a comunicação não-violenta?
– Como posso aprender a comunicação não-violenta?
– A comunicação não-violenta é útil no ambiente de trabalho?
– A comunicação não-violenta está ligada à mediação judicial?
– O que é preciso para usar a comunicação não-violenta?
– Existem cursos de comunicação não-violenta?
– Como a comunicação não-violenta pode melhorar a vida em sociedade?

OFERECIMENTO
Bradesco
G-Locks Fechaduras Eletrônicas

LINKS DO PROGRAMA
Podcast TERAPIA DE PERSONAGENS
Apagão – Ruas de Fúria
BarbaraDuarte Podcast #10 – A Guerra do Streaming, com Tato Tarcan
BarbaraDuarte Podcast #9 – Um Guia Para a Black Friday, com Prof. Maury
Baseado em Fatos Surreais Podcast
EU NÃO ACREDITO – Masculinidade
EU NÃO ACREDITO – Meditação

REFERÊNCIAS TEXTUAIS
Conciliação e mediação – estatísticas (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo)
A comunicação não violenta como instrumento de pacificação social (Jus)
CNV – Comunicação não violenta para melhores diálogos e relacionamentos (Descola)
Curso de Comunicação não violenta: Consciência para agir (Alura)
Ahimsa (Wikipédia)

Gostou do episódio? Mande um comentário em áudio pelo WhatsApp +55 11 98765-6950. Seu comentário poderá aparecer no podcast Serviço de Atendimento à Cavalaria (SAC).


mande seu comentário em áudio